Contador de Visitas

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Poetas da escola






Nesta escola também tem professora que se mete a poeta. Rsrsr, lancei-me ao desafio, com o intuito de motivar os alunos na construção dos seus textos. Este foi o meu tema de casa, fazer uma poesia com o tema "O Lugar onde vivo". E, os alunos e alunas tinham como tema, olhar o lugar com o olhar do poeta. Esta atividade faz parte do concurso das Olímpiadas de Língua Portuguesa. Cumpri a tarefa de casa, vou compartilhar com vocês minha inspiração.
Vila Iguaçu
Contemplo tua paisagem no cenário da cidade.
Para alguns mais uma periferia,
para mim lugar de resistência e correria.
Lugar de muitas histórias,
Histórias do passado, histórias do presente.
Contadas por griôs, que tudo armazenam em sua mente.
Tia Paula, vó Marcofa, memória viva no meio da gente.
Resgate de nossa história, protagonismo de nossa gente.
José Paulino Rodrigues, nome de rua
reconhecimento pra sempre,
para o primeiro morador que aqui se fez presente.
Vila Iguaçu, quantas histórias
histórias feitas por gente, histórias no tempo presente.
É um marista, que se preocupa com a gente,
irmão Cláudio que fez história distante,
De Moçambique, vem pra junto da gente.
Contribui com nossa caminhada,
Valorizando através de projetos, nossa cultura, nossa gente.
Vila Iguaçu, tem gente que pensa, gente que faz, gente que grita, gente que argumenta
Há um canto que encanta,
O gospel e o rap fazem parte da gente.
Sons diferentes, mostrando a diversidade presente
Também tem uma escola, com uma meninada
que estuda Hip Hop e muito dá Ibope
e também prêmios.
Jornal NH, Jornal Popular
A criançada da Arnaldo, também está lá.
O grupo “Fé em Deus” e “Vem com a gente no balanço”.
Faz da sua fala, sua dança,
um movimento pra mudança.
Vila Iguaçu, o que dizer mais de ti
Das tuas ruas, teus becos sem saída, do arroio Pampa,
que grita por socorro, pelo descuido de sua gente
Ah! mas tem monitores ecológicos que conscientizam
separando lixo, cuidando do meio ambiente.
Iguaçu, defini-la tentei, ah como tentei
mas direi mais:
Somos guerreiros urbanos
num processo desumano, que discrimina, exclui a nossa gente.
Ao ouvir minha fala, devem perguntar-se: oh! Quanta menção sobre a gente
Assim falo pra reforçar: aqui mora gente,
Exigimos respeito, atenção e cuidado com a nossa gente.
(Autoria de Maria Ester Martins do Nascimento, iniciado em 09/08 e finalizado em torno das 02:11 de 11/08/08)

3 comentários:

Adenir disse...

Amiga Maria Ester, o trabalho de vocês é muito lindo,emociona,nos alegra!Pois são atividades que incentivam e estimulam crianças e demais pessoas a crescerem internamente,[i]revelando o que há de mais belo no ser humano:a sua própria identidade e beleza características de cada ser...
Lembre-se,se poderá sempre contar comigo se desejar e precisar!
Bjs,Julyenne Rodrigues

CÍNTIA disse...

OLÁ MARIA ESTER...

ATRAVÉS DO BLOG ESCRITORES DA ADOLFINA ENCONTREI O SEU ...
ACHEI MUITO LEGAL!!!!!!

ESPERO SUA VISITA, TENHO UM BLOG DE ARTESANATO E UM DO MEU TEATRO DE BONECOS....
PASSE POR LÁ, OK!!!!

SERÁ UM PRAZER RECEBÊ-LA...

CÍNTIA MACIEL

Lenira Brisch disse...

Lindo Ester!!!!
Impactante teu poema.